VIOLAÇÃO ABERTA DA CAIXA 2: Sob pressão, o relator admite uma alteração no projeto eleitoral e define as regras até 2020

0


A pressão contra a proposta que limita os mecanismos de transparência e controle de custos dos partidos políticos levou o relator do Senado Waverton Roach (PDT-MA) a aceitar as emendas e comprometer a validade das novas regras para as eleições de 2020.

O texto aprovado pela câmara neste mês altera os padrões eleitorais e partidários e, como mostra a folha na semana passada, amplia as lacunas no segundo bloco e reduz a possibilidade de punição por violações . também devastação dos mecanismos de controle e transparência no uso de fundos eleitorais estaduais.

Agora depende da aprovação do Senado, onde, se houver alguma alteração, ele poderá exigir que a Câmara recorra novamente sobre esse assunto.

Se isso acontecer, as novas regras correm o risco de não serem aprovadas a tempo de se aplicar à próxima eleição . Por lei, novas regras devem ser aprovadas um ano antes das eleições no início de outubro.

“Cada relatório está sujeito a alterações. A princípio, vejo mais desinformação [por parte de quem critica o texto]. Muitas coisas serão melhor esclarecidas. Falará com toda a casa. Eu ainda vou falar com os líderes. Sinceramente, não tenho opinião sobre o texto ”, afirmou Waverton Folla .

Este projeto de lei é o primeiro item do plenário desta terça-feira (17). No entanto, apenas a sessão do CCJ (18) está agendada para quarta-feira. Os próximos passos devem ser discutidos em uma reunião de líderes do partido.

O relator chegou a emitir um parecer na manhã de segunda-feira (16), que acolhe plenamente o texto aprovado pela câmara há duas semanas e rejeita todas as emendas. No entanto, ele disse que havia enviado um relatório para garantir um lugar na agenda de votação, mas consideraria emendas ao considerar o projeto de lei.

“A contratação de advogados políticos por dinheiro do Estado é imoral, ilegal e inconstitucional. É um tapa na cara da população brasileira, que não possui verba do Estado para os serviços mais básicos. Isso é um insulto ”, replicou o presidente do CCJ, senadora Simone Thebet (MDB-MS) referindo-se a uma das passagens mais controversas do projeto.

Texto Permite o uso quase gratuito de fundos públicos para pagar contas e advogados de agências, incluindo aqueles que respondem a alegações de corrupção. Hoje, o tribunal proibiu essas despesas.

Dentro da estrutura do projeto, o uso é permitido e seus valores não serão levados em consideração na extensão das despesas e doações dos candidatos feitas por indivíduos. Segundo os especialistas, isso amplia a possibilidade de receber dois valores à custa de uma declaração de lei fictícia ou serviços de contabilidade.

O grupo multipartidário Muda Senado se reúne nesta terça-feira (17) para se posicionar. – Os desenvolvedores da equipe dizem que a maioria deles é contra essa proposta.

Na Câmara dos Deputados, o texto principal do projeto de lei foi aprovado por 263 votos a 144 .

O presidente do Senado, David Alcolumbre (DEM-AP), tentou votar o projeto na semana passada sem nenhum comitê.

Houve uma reação do governo e dos partidos da oposição. Rede, Cidadania, Somos e PSL interferiram na votação, e Alcolumbre recuou. Foi acordado que esta proposta seria considerada nesta semana, primeiro no CCJ e poucas horas depois no plenário.

Waverton disse que pretende adotar pelo menos duas emendas – teoricamente, se houver apenas ajustes editoriais ou exclusivos. O Senado é obrigado a devolver o projeto à Câmara.

Para entrar em vigor no próximo ano, o projeto de lei deve ser autorizado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) até 4 de outubro.

A proposta discutida no Senado está sendo suavizada. punição de abreviaturas cuja responsabilidade tenha sido rejeitada pelo tribunal.

De acordo com o texto aprovado, uma multa pode ser aplicada apenas ao tesouro do estado, e a compensação é recuperada se for comprovado o comportamento ilegal intencional da parte, ou seja, se a assinatura for totalmente válida. sabe-se que ele cometeu uma violação.

O projeto de lei não estabelece o custo do fundo eleitoral, que será determinado na discussão do orçamento para 2020.

A expectativa da maioria dos partidos é que a quantia de 1,7 bilhão de rublos alocados em 2018 seja ajustada pela inflação para as eleições do próximo ano, mas essa definição deve ser adotada apenas no final do ano.

Os congressistas já tentaram de outras maneiras. aumentar esse número para US $ 3,7 bilhões, mas recuou após o esgotamento público.

Uma das emendas a serem adotadas pelo relator do Senado exclui uma passagem que abre uma lacuna para o recrutamento de advogados para proteger os candidatos submetidos ao parlamento. responder a má conduta administrativa e criminal.

A autora da emenda, senadora juíza Selma (PSL-MT), diz que sua emenda foi criada para impedir que "maus gerentes" usem recursos de guerrilha para pagar, por exemplo, honorários de advogados criminais "

A redução das multas por reprovação de contas beneficiará as partes que estão atualmente processando por problemas antigos. Nesses casos, o texto se estende à determinação de que uma ação deliberada não é apenas um erro formal – as abreviações devem ser comprovadas.

A proposta também revive a transmissão de propaganda do partido no rádio e na televisão – uma obrigação que foi rescindida por este último. mini-reforma eleitoral justamente por causa da criação do fundo eleitoral.

Outra mudança provocada pelo projeto é que permite a criação de um instituto com um CNPJ para administrar a cota de 5% do fundo do partido, destinado a promover a participação das mulheres na política.

O discurso oficial é permitir que as mulheres administrem esta instituição e, portanto, dinheiro. Nos bastidores, a intenção é impedir os líderes partidários que ainda serão capazes de determinar o destino do dinheiro e serem punidos por quaisquer desvios.

Como Folla revelou no início deste ano, A PSL patrocinou laranjas em Minas e Pernambuco em eleições recentes usando cotas de mulheres.

ALTERAÇÕES SUGERIDAS

Responsabilidade
Torna desnecessário o uso de justiça seletiva, o que permitiria a cada lado usar diferentes modelos de responsabilidade, abolir a padronização e complicar significativamente a supervisão do público e da autoridade


Erros, omissões e atrasos serão perdoados se forem corrigidos antes que uma decisão sobre relatório seja tomada. Além disso, a punição somente ocorrerá se for comprovado que a parte agiu intencionalmente, ou seja, com a plena compreensão de que cometeu uma violação

Contabilidade de despesas
Doações recebidas por candidatos a advogados e as despesas contábeis não introduzirão um teto de doações e uma conta de despesas para eleições. Isso cria espaço para um advogado ou contador do caixa 2

conteúdo da Internet
Atualmente, os partidos não podem gastar fundos de guerrilha para aumentar o estagiário -kontenta. Se o projeto for aprovado, é permitido

Participação das mulheres
Os partidos devem alocar pelo menos 5% do que recebem do fundo do partido para promover políticas que incentivem a participação das mulheres na política. O projeto prevê que as legendas possam criar instituições com sua própria personalidade jurídica para gerenciar esse dinheiro, o que libera os líderes da punição por possível uso irregular.

Tokens sujos
Os problemas que poderiam bloquear a candidatura de políticos devem ser avaliados. o mais tardar na data de sua posse, não mais no momento do registro

VOLHAPRESS

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.