VÍDEO: Depois de estudar em um curso gratuito, a lavagem de carro de SP na redação do Enem 2019 recebe 920 pontos

0

Assista ao vídeo aqui para obter a história completa

Davi Araújo, 19 anos, ingressou em um seleto grupo de estudantes que obtiveram mais de 900 pontos no Enem. Filho de um diarista, trabalha como lavador de carros em uma lavagem de carros na zona sul de São Paulo e no ano passado pagou com seu salário a viagem ao centro de São Paulo para os cursos do Cursinho Comunitário Modelo. [19659003] Os bons resultados de Davis não são os únicos no curso Cram que estão em perigo após quatro anos de uso do espaço fornecido por uma escola da cidade para as aulas de 2020 a partir de fevereiro.

O curso foi criado em 2015, com base na experiência da Associação Educacional e Cidadania de Afrodescendentes e Impactos (Educafro). No ano seguinte, a Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Duque de Caxias, em Glicério, na região central, abandonou algumas de suas salas de aula não utilizadas para aulas à noite e aos sábados.

Em 2016 e 2019, o curso também ofereceu aos alunos do ensino fundamental uma aula preparatória para os exames de ingresso nas escolas técnicas (Etecs) e no Instituto Federal de São Paulo (IFSP). Segundo os professores, 100% dos alunos que concluíram o programa preparatório já passaram.

No entanto, na virada do ano, o Cursinho Modelo indicava que a escola propunha manter a parceria enquanto o Modelo estivesse apenas oferecendo aulas aos alunos, e não mais à comunidade em geral. Os professores recusaram e o beco sem saída terminou no Ministério da Educação da cidade, que afirmou em comunicado que "o Cursinho Modelo continuará a trabalhar no EMEF Duque de Caxias em 2020".

Metodologia especial [19659002] Segundo Tom Junior, fundador da Modelo, a metodologia do curso Cram é direcionada a um público específico: pessoas que não tinham acesso à educação de alta qualidade na educação básica. A seleção dos mais de 400 estudantes que se matriculam todos os anos é baseada em alguns critérios, incluindo jovens negros e de baixa renda, mas principalmente pessoas que passam um ano estudando e comprometidas em ajudar os outros ,

"Nossa seleção não se baseia no conteúdo que o aluno já possui, mas em seu desejo de mudar sua vida e família", disse Junior, que atualmente afirma que 40 professores voluntários estão esperando por ele. Uma definição de onde Os cursos serão oferecidos este ano para ajudar a selecionar alunos para vagas.

Ranking Top of Enems

Davi Araújo foi selecionado no início de 2019 e disse que o curso o ajudou a aprender mais sobre os exames de admissão em faculdades como Enem e Fuvest, que ele tinha para vagas na Universidade de São Paulo (USP) seleciona.

Até então, ele havia cursado o Enem em 2016, quando cursava o segundo ano do ensino médio. Naquela época, sua nota estava no escritório editorial 420.

Três anos depois, Araújo subiu para 920 na segunda tentativa, resultado da combinação de seus esforços e da ajuda de professores voluntários.

No Enem 2018, na redação, apenas 2% dos candidatos alcançaram mais de 900 pontos. Na edição de 2017, esse número era de 1% de todo o universo. O Instituto Nacional de Educação e Pesquisa Anísio Teixeira (Inep) não divulgou dados detalhados para a edição deste ano. O Enem 2019 teve quase 4 milhões de participantes.

Também aprovada pela Fuvest para a segunda fase, a lavadora de carros aguarda os resultados do teste de aprovação da USP e o Sistema Único de Seleção (Sisu) para conseguir uma vaga no exame final em engenharia da computação.

G1

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.