Segundo o IBGE, a taxa de desemprego diminuirá em 16 estados em 2019

0

FOTO: WILSON DIAS-ABR

A taxa média de desemprego foi fechada em 16 estados em 2019. Isso emerge dos dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – Contínua (PNAD-Contínua), publicada nesta sexta-feira (14). , no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Santa Catarina teve a menor taxa média de desemprego anual: 6,1%.

Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso aparecem em seguida com 8% cada. Os maiores percentuais foram observados no Amapá (17,4%) e na Bahia (17,2%).

A força de trabalho cresceu em 23 países. Apesar do declínio no desemprego e no emprego, 20 estados apresentaram uma taxa recorde de informalidade, ou seja, trabalhadores sem carteira, trabalhadores independentes sem CNPJ e familiares auxiliares. A maior taxa foi registrada no Pará (62,4%) e, portanto, bem acima da média brasileira (41,1%). Atualmente, existem 12,6 milhões de desempregados no país.

A informalidade cresce

Segundo Adriana Beringuy, pesquisadora do IBGE, o aumento do emprego no país se deve ao crescimento da informalidade. “Em vários países, descobrimos que a taxa de informalidade é superior ao crescimento da força de trabalho. O Brasil tem um milhão de trabalhadores informais após o aumento de 1,819 milhão de funcionários ”, afirmou.

Durante a transição do terceiro para o quarto trimestre de 2019, a taxa de desemprego caiu em nove unidades federais, com foco no Maranhão (de 14,1% para 12,1%) e no Pará (de 11,2% para 9,2%) , Permaneceu estável nos outros países.

Comparado ao quarto trimestre de 2018, houve uma queda em sete países, com foco no Amapá (queda de 19,6% para 15,6%). Somente Goiás teve um aumento na taxa de desemprego nesse tipo de comparação. Passou de 8,2% para 10,4%. Agência Brasil

Agência Brasil

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.