RN e dois outros estados caíram no crime de micro e pequenas empresas

0

[ad_1]

As micro e pequenas empresas do Rio Grande do Norte estão entre as que reduziram a criminalidade no país e se opõem a uma forte tendência nacional. Os dados são retirados de uma pesquisa realizada pela Serasa Experian, que aponta para o histórico de casos de inadimplência desde o início da série de levantamentos históricos lançada em março de 2016.

A posição da região Nordeste é destacada. Além do fato de que existem apenas três estados no país, que conseguiram reduzir o nível de dívidas vencidas em relação a março do ano passado, ele ainda lidera o ranking nesse ranking com o estado com o menor aumento nas micro e pequenas empresas com apenas 3,4 . % para o mesmo período do ano passado. O resultado se deve ao bom desempenho das micro e pequenas empresas do Piauí (-1,6%), Alagoas (-0,8%) e Rio Grande do Norte (-0,6%).

Para o presidente da RN, Márcia Maia, esse fenômeno em relação ao Estado está ligado, entre outras coisas, ao fato de instituições que desempenham papel preponderante no processo de criação de um novo negócio, incluindo a proposta dos conceitos de educação financeira, negócios e empreendedorismo. .

“A educação financeira e a gestão empresarial são dois pontos importantes para os empresários, especialmente no caso das micro e pequenas empresas. Nesse sentido, o programa de microcrédito para empresários, proposto pela AGN, garante não apenas recursos para a criação ou expansão de um negócio, mas também é um empréstimo que oferece ao empreendedor ideias para o uso efetivo desse recurso e a prosperidade de seu negócio. Nossa intenção é melhorar ainda mais esse aspecto por meio de parcerias com o Sebrae e outras organizações para otimizar ainda mais a concessão, que deve ser um padrão ainda menor ”, disse Marcia Maya.

O resultado positivo do Empreendedor de Microcrédito é confirmado pela afirmação de que 96% dos que foram atendidos pelo programa foram classificados como "muito bons" e "bons". Os números são retirados de uma pesquisa realizada pela instituição em 2019, e indicam também uma melhora de 67,73% das empresas / empresas atendidas pelo programa. “Os números mostram claramente o impacto positivo desses empréstimos, pois eles vão além de garantir a conformidade, refletem a crescente viabilidade das empresas.”

negócios. Portanto, daqueles que concluem um contrato de financiamento, quase 95% pretendem realizar novas operações de igual ou maior valor. Trata-se de um empréstimo concedido de maneira razoável, com impacto socioeconômico na vida das pessoas ", concluiu o diretor-presidente da AGN-RN.

Inadimplência no país

(8,2%) em março de 2019 em comparação com o mesmo mês de 2018. Em segundo lugar, no sudeste com um aumento de 7,8%, seguido pelo Centro-Oeste (7,5%) e Sul (6,9%). O Amapa apresentou o maior crescimento (14,8%) em relação ao ano anterior, enquanto o Rio de Janeiro ficou em segundo lugar com 13,5%, seguido por Mato Grosso (12,6%) e Pará (9,7%).

Em março deste ano, o número de empresas insolventes de todos os tamanhos Atingiu um número recorde de 5,7 milhões, o maior número de histórias em série, que foi de 5,6 milhões (máximo 0,8%) em fevereiro de 2018. Em comparação com março de 2018, o volume aumentou 4,5% Micro e pequenas empresas respondem por 95% do total de inadimplência no país.

[ad_2]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.