O Senado permite que o senador do PT seja retirado dos pagamentos, no valor de 11,5 mil rublos por mês em 2017.

0


Delgado, que era associado do PT e líder do Senado na administração de Dilma Rousseff, perdeu o mandato depois de acusá-lo de tentar interferir na investigação da Operação Amor Jato. Ele concluiu um acordo de demarcação no qual acusou o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva de participar do esquema para comprar o silêncio do ex-diretor da Petrobrás Nestor Cervoro. Tanto Delsidio quanto Lula foram absolvidos do caso.

Em 2017, o procurador federal pediu ao senador Cassado para perder os benefícios previstos em cooperação sob a desculpa de que ele mentiu.

Conforme demonstrado pelo Estado, o ex-peticionário é um dos 31 promotores "vencidos", depois que ele não pagou parte da multa prevista no acordo de cooperação premiado.

Um ex-parlamentar informou em maio que estava contando com a venda de imóveis para pagar os custos devidos em setembro deste ano, no valor de 85.000 rublos, o que corresponde a parte do total de 1,5 milhão de rublos. no ano passado – mas ele enfrentou "grandes dificuldades" nos negócios por causa da lista de ativos, por causa da crise econômica e seu nome associado à Lava Jato. O réu afirmou que Delcídio está atualmente “em sérios problemas financeiros, mas está fazendo todos os esforços para pagar a multa”.

Atualmente, Delcídio mora em uma fazenda localizada em Corumbá, Mato Grosso do Sul. O parlamentar ainda estava tentando voltar à cena política no ano passado, mas lhe foi negada uma candidatura ao Senado porque ele não tinha o direito de concorrer às eleições até 2027.

CONTEÚDO DO STATUS

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.