O ministério agora diz que não compromete o sigilo na transferência de dados para Bolsonaro

0

[ad_1]

Depois de confirmar as informações enviadas a Jaira Bolsonaro sobre a investigação das reclamações de laranja PSL, o Ministério da Justiça emitiu uma nota (5) na noite de sexta-feira afirmando que transmitiu ao Presidente apenas dados que não comprometem a confidencialidade. cálculos.

Na terça-feira (2), uma pasta sob o comando do ex-juiz Sergio Moreau em uma nota enviada por Folière afirmou que Bolsonaro "informou sobre o andamento das investigações", mas a investigação está sendo processada secretamente no tribunal. Eleição Minas Gerais.

O texto confirma a declaração presidencial feita durante a 28ª conferência de imprensa no Japão que ele recebeu do Ministro da Justiça "uma cópia do que foi investigado pela polícia federal".

"

Em uma nova nota, divulgada na sexta-feira, após a publicação do relatório de Falkhi, a pasta mudou a versão e informou que passou a informação para o presidente." A imprensa “Sobre a Execução das Prisões Auxiliares do Ministro do Turismo, Marcelo Álvaro António, uma das investigadas neste caso, é amplamente divulgada pela imprensa.

“O Ministério da Justiça e Segurança Pública esclarece que foi o Presidente da República que solicitou uma rápida investigação sobre o suposto uso de pessoas que participaram das eleições do PSL em Minas Gerais. Na quarta-feira, depois que o policial federal foi preso por um assessor especial do Ministério do Turismo, o Ministro da Justiça e Segurança Pública e o Presidente foram informados disso ”, disse a última declaração

. ou foram transferidas informações processuais que poderiam comprometer a confidencialidade das investigações ou que já não estava amplamente disponível para a imprensa ”, acrescentou o briefing.

Promulgado por Falkha no início de fevereiro, o caso das laranjas PSL está sendo investigado pela Polícia Federal e pelo Ministério de Estado de Minas Gerais e Pernambuco e levou à queda de Gustavo Bebianno, ministro da Secretaria Geral da Presidência que comandou o partido em 2018.

A Polícia Federal vê elementos da participação do ministro do Turismo no esquema em Minas Gerais e apreendeu documentos em endereços relacionados ao PSL-MG

Folhapress

[ad_2]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.