O governo do RN emite um comunicado de imprensa sobre questões em que a CGU encontra um preço excedente pelo aluguel de tornozeleiras e scanners para prisões

0

NOTA À IMPRENSA

Natal / RN, 18 de fevereiro de 2020.

Secretário de Estado da Administração Penitenciária do Rio Grande do Norte (Seap), por volta de
em relação ao assunto "CGU encontra supervalorização no aluguel de tornozeleiras e
Scanner para Prisões do RN "contém as seguintes explicações:

1 – Informações sobre a posição dos scanners corporais de acordo com a recomendação da nota técnica
N.º 02/2017 da Agência Nacional de Execução (Depen), o antigo Secretariado da Justiça
e Cidadania (SEJUC) prepararam o plano de uso de recursos por meio da carta oficial
.
1436/2017, que previa o aluguel de 10 scanners corporais, aprovados por Depen em
"Informação 78/2018" com a declaração "LOCAÇÃO PERMITIDA".

2 – Considerando a notificação do Depen que seria feita em 2018 para o registro de
.
Prêmio pela doação de scanners corporais às autoridades penitenciárias,
Em 2018, a SEJUC optou pelo contrato de aluguel em conformidade com a Lei de Registro de Preços Nº
.
143/2018, o valor unitário do scanner corporal esperado era de R $ 19.988,00 e o final
O julgamento foi renegociado para R $ 15.900,00, resultando em economia de R $ 2.452.800,00.
no final do período de 60 meses. No julgamento, de acordo com o parecer 4/2019, o Ministério Público
General des Staats (PGE): "DEMONSTRAU O BENEFÍCIO FINANCEIRO DA ADESÃO
À POUPANÇA PÚBLICA “.

3 – Observamos que o arrendamento foi concluído de acordo com a ação civil pública
.
0833055 / 50.2016.8.20.5001, de 2016 para atender às necessidades do serviço, então
no que diz respeito à conformidade com o plano de aplicação, cuja conformidade é obrigatória sob a penalidade de
.
Transferência de recursos. Scanners corporais instalados nos centros de detenção do Rio
O Grande do Norte otimizou o trabalho dos policiais, aumentou a segurança e
terminou as revistas irritantes.

4 – Em relação às tornozeleiras eletrônicas, contrato da SEJUC n.º 029/2017, parágrafo
Sétimo, o pagamento é feito por dispositivos que foram disponibilizados + funcionários
aos pés dos prisioneiros. “

5 – Em abril de 2018, sob recomendação da nota técnica de
Departamento Penitenciário Nacional (Depen), março de 2018, pagamentos
começou a ser produzido por tornozeleiras ativadas (conectadas aos pés dos internos).
6 – Ressaltamos que o relatório da CGU se refere a “Pagamentos em
.
Janeiro / 2018 a julho / 2019 e que em 2019 todos os pagamentos
o uso de tornozeleiras eletrônicas foi feito através de tornozeleiras ativadas (associadas
aos pés dos prisioneiros).

7 – Os pagamentos para tornozeleiras eletrônicas são feitos no valor de
equipamento e orçamento acordados contratualmente nos contratos 029/2017 a 466
Equipamento e contrato 003/2018 para ativar até 875 tornozeleiras. O contrato
029/2017 foi adicionado no limite de 23% (mais 109 tornozeleiras), um total de 575. O
O relatório da CGU não considerou a alteração 01/2019 do contrato 029/2017.

Secretaria de Estado da Administração Penitenciária, assessorando em comunicações

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.