NÃO ACEITO: “O problema é que ninguém quer perder nada”, diz Bolsonaro sobre a polícia.

0

[ad_1]

O presidente Zhair Bolsonaro admitiu que propôs mudar a renúncia de policiais que servem na União no texto da reforma previdenciária, que está sendo considerado pela Câmara, mas disse que a proposta não foi implementada. “Fiz uma grande oferta, eles não aceitaram. Agora vá para a votação, ”ele lamentou quando foi perguntado na Broadcast / Broadcast sobre se ele teria feito quaisquer instruções sobre esta questão, como relatado pelos líderes da Câmara dos Representantes. Bolsonaro acrescentou que "o problema é que ninguém quer perder nada" e reiterou que "todos devem fazer uma contribuição".

O presidente fez um comentário durante uma festa na embaixada dos EUA em Brasília para celebrar o aniversário do 243º aniversário da independência dos EUA. Então, diante da informação de que o acordo envolvendo a consideração de policiais foi derrubado, ele respondeu que "na esfera do bem-estar, todos terão de contribuir".

Anteriormente, os líderes anunciaram que haviam chegado a um acordo. A proposta permitiu que a categoria se aposentasse pelo menos 53 anos (homens) e 52 anos (mulheres). Durante o período de transição, eles também terão direito ao último salário de carreira (completude) e ajustes equivalentes ao salário ativo (paridade), desde que cumpram 100% do salário durante o trabalho.

A proposta inicial apresentada pelo governo em fevereiro prevê uma idade mínima para aposentadoria de 55 anos, com uma contribuição de 30 anos. As exigências foram mantidas na terceira versão da conclusão de Samuel Moreira (PSDB-SP), lida na última terça-feira, 2, no Comitê Especial, que considera a proposta na Câmara

. Hoje não há idade mínima para a polícia federal. O presidente Rodrigo Maya (DEM-RJ) disse que o acordo foi assinado pelo presidente do Estado de São Paulo (DEM-RJ). falhou “Atribuir um policial pode ter um efeito cascata”, disse Maya após se encontrar com Moreira e o presidente do comitê ad hoc Marcelo Ramos (PL-AM). “Bolsonaro deve ter chamado parlamentares. É legal que o presidente pense que um bom acordo é melhor que o confronto ”, disse Maia.

Francisco Assis de Araujo Neto, representando a Federação Nacional da Polícia Federal (FENAPEF), a nova regra foi pior para a polícia: "Não houve acordo, isso é falso. Só promessas. Não há nada em tempo honroso", afirmou. criticou a posição da equipe econômica que não cumpriu as promessas do presidente. "Ele foi eleito com a bandeira de segurança", disse ele. (Os autores são Adrian Fernandez, Eduardo Rodriguez, Fabrício de Castro e Camila Turtelli)

CONTEÚDO DO ESTADO

[ad_2]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.