Maya no caso Moreau: a invasão de dados é um crime e o uso é a liberdade de imprensa

0

[ad_1]

Para o presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maya (DEM-RJ), usar os dados do ministro da Justiça, Sergio Moreau na imprensa não é um crime, mas uma intrusão nos telefones celulares do Ministério Público. É claro que entrar no telefone de uma pessoa e obter informações privadas é crime, e o promotor e a polícia federal certamente investigarão. Agora eu acho que o uso de dados é o que chamamos liberdade de imprensa. Todos nós culpamos a democracia pela liberdade de imprensa. Em outros episódios, todos os dados sensíveis são usados, como no caso do próprio Wikileaks. Assim, ele deve ter o mesmo peso pelos mesmos fatos ", disse Maya.

Ele ressaltou que isso não significa que o fato de alguém ter entrado no computador de uma pessoa não seja um crime". o jornalista possui essa informação, como em muitos outros casos, quando jornalistas ocultaram informações sobre as acusações e foram divulgados. ”É claro que, se o servidor fosse descoberto, ele teria cometido um crime para revelar o segredo, mas a imprensa não cometeu qualquer crime para usar este documento. "

Maya disse que cerca de Ele acha que Moreau não está cansado dessa série de mensagens sobre alegadas comunicações com os promotores: "Acho que o ministro Moreau tem muita força, ele tem grande autoridade em uma parte importante da sociedade brasileira", disse ele.

Maya participou no debate no evento da XP Investimentos, e em algum momento começou uma discussão sobre o papel das crianças do presidente no governo federal por causa dos ministros que teriam sido demitidos sob pressão.

Líder do Senado Fernando Bezerra (PSB-PE) foi o primeiro a falar sobre essa questão e disse que precisamos deixar o Twitter

Também presente é ministro Luis Roberto Barroso do Supremo Tribunal Federal (STF) que disse que seus filhos e filhas foram não têm influência sobre suas decisões.

Estadão Content

[ad_2]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.