[FOTO] Nardoni, Kravinuyus e outros "famosos" prisioneiros deixam a prisão para audiência conjunta

0


Os detentos Alexander Nardoni, Christian Kravinhoes, Gil Rugay, Lindenberg Alves, Mizel Bispo de Souza e Guilherme Longo, condenados por graves crimes graves presos na prisão de P2 em Trememba (SP), saíram juntos da prisão na tarde de quarta-feira ( 26) participar do procedimento de investigação da alegada ausência da presa Asira Fiyo, ex-prefeito Ferraz de Vasconcelos (SP).

Trabalho, cuja venda começou no último dia em plataformas de Internet para 59,90 rublos, foi apresentado em uma conferência de imprensa. investigação. A juíza Suely Zeraik abriu o procedimento interno no Tribunal Criminal (VEC) para determinar possíveis violações – o documento sobre o processo não é público.

Pelo menos três dos “prisioneiros famosos” cujos supostos relatos e rotinas no sistema penitenciário são divulgados no livro do ex-prefeito disputarão a publicação. Anteriormente, os detentos queriam que um deles registrasse uma queixa na delegacia de Trememba sobre os materiais, mas eles recusaram.

Um dos problemas seria a falta de permissão prévia para usar a imagem, o que pode levar a um pedido de indenização por danos morais e uso inadequado da imagem.

A defesa do Asir Fiyo, Monica Rinaldo, não comentou sobre o assunto. O editor da Nova Brasil Esperança, responsável pela publicação, disse que ainda não havia sido notificado de possíveis violações. O livro contém mais de 350 páginas.

Oito prisioneiros participam de audiências judiciais no Departamento de Execução Penal (Decrim) em São José dos Campos (SP). Chegaram ao fórum, onde o setor está localizado, em dois carros da Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) por volta das 14:00.

Alexander Nardoni percorreu uma distância de cerca de 60 quilômetros entre Tremembe e São José, separado do resto da execução da sentença em outro regime penitenciário semi-aberto.

Atualmente, o procedimento imposto pela justiça da paz é extrajudicial, e a audiência será para tentar pôr fim ao impasse entre os participantes e estabelecer uma possível irregularidade no comportamento do ex-prefeito que não o fez. será permitido publicar um livro com informações sobre a unidade e os prisioneiros. A reunião terminou às 18 horas.

O Departamento de Administração Penitenciária informou apenas por e-mail que cumpriu uma decisão judicial de atrair prisioneiros para o fórum. Após a audiência, a juíza Suely Zeraik não deixou comentários.

O promotor Luis Marcelo Negrini, que seguiu o procedimento no fórum, disse que Akir disse na audiência que a liderança do P2 sabe implicitamente que ele escreveu o livro

.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.