Foto mostra cocaína apreendida em uma mala com um soldado brasileiro na Espanha

0

[ad_1]

<img src = "https://fiuol.com.br/fotografia/2019/07/03/15621875165d1d16fc20b4b_1562187516_4x3_md.jpg" alt = "Um saco com 37 pacotes de cocaína apreendidos pelos militares brasileiros, em Sevilha, Espanha – Jornal El País

39 kg de cocaína apreendida pelos militares brasileiros em Sevilha, Espanha Cocaína apreendida no aeroporto de Sevilha, Espanha, juntamente com a Força Aérea Brasileira foi transportada sem qualquer disfarce, segundo foto tirada pelo jornal El País.

A apreensão foi feita na terça-feira -feira (25) O segundo sargento Manoel Silva Rodriguez fez parte do grupo de apoio para a comitiva do presidente Yair Bolsonaro, que viajou para Osaka, no Japão, onde participou pela primeira vez do encontro do G20

Os militares carregavam a droga em uma bolsa protegida por uma fita bege e uma delas estava embrulhada em papel amarelo. A ausência de qualquer disfarce e o descuido dos militares chamam a atenção De acordo com o jornal, Rodriguez carregava apenas uma mala quando foi detido na alfândega do aeroporto.

Na terça-feira (2) o presidente Jeir Bolsonaro anunciou que a equipe do governo brasileiro seria enviada

. A investigação é parte de uma investigação policial realizada pelo comando da aviação para descobrir se os militares têm ligação com gangues de movimento internacional.

A investigação do Exército, marcada nesta quarta-feira (26), tem prazo de 40 dias, podendo ser prorrogado por mais 20 dias para concluir a investigação. Nos bastidores, a principal aposta dos militares é que o sargento foi pago para transportar o material para a Espanha, onde ele vai entregá-lo a um grupo criminoso.

O Consulado Geral do Brasil em Madri presta assistência consular aos militares, mantendo contato com o acusado e seus familiares. O governo espanhol também nomeou um advogado para ele.

Este episódio expôs o governo internacional ao embaraço, causou desconforto no Planalto e questionou o aparato de segurança de viagem

Após a captura, a rota de Bolsonaro foi alterada e a agenda oficial do presidente no site de Plano começou a mostrar Lisboa como uma parada, não Sevilha. A recomendação presidencial não explicou o motivo da mudança.

O comando aeronáutico recusou-se a informar, no entanto, se Rodriguez passou a inspeção antes de embarcar na aeronave em apoio à comitiva presidencial.

O procedimento de segurança adotado pela Força Aérea para missões de navegação inclui pesquisas de pré-embarque, como verificação de passageiros e bagagem.

Segundo relatos de membros do governo, feitos por Folieu mas raramente a equipe de apoio se reporta à polícia ou detectores de metais antes de serem enviados para o Brasil.

O ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, já disse que as Forças Armadas não reconhecem que o "criminoso" faz parte delas e que o sargento será condenado sem julgamento ou investigação por tribunais brasileiros e espanhóis.

“Não vamos permitir criminosos entre nós. Neste caso, houve uma quebra de confiança e a confiança é característica da cultura militar. Este caso lamentável é um caso isolado entre os militares que gozam da maior confiança entre o povo do Brasil ”.

VOLHAPRESS

[ad_2]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.