FOTO: Bolsonaro recebe alta e deixa o hospital em São Paulo

0


Foto: Reprodução / TV Globo

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) teve alta nesta segunda-feira à tarde (16) e deixou o Hospital Vila Nova Star, no sul de São Paulo, pouco antes das 15:00. Ele foi ao aeroporto de Congonhas para viajar para o Brasil, onde continuará se recuperando.

Bolsonaro foi internado no hospital no sábado (7) para reparo de hérnia (uma protrusão de tecido) que havia ocorrido no local de intervenções anteriores.

O vice-presidente Hamilton Morao permanecerá presidente interino até quarta-feira (18), segundo o Palácio do Planalto.

A primeira previsão foi que o presidente retomaria seu posto na sexta-feira passada. Foi adiado até terça-feira – incluindo segunda-feira de manhã, Murao disse que permanecerá no cargo até segunda-feira.

Viagem do presidente a Nova York para sediar a Assembléia Geral da ONU. ), foi adiada por um dia: em vez do dia 22, haverá o dia 23.

Segundo o porta-voz presidencial Otavio Riego Barros, alterar a data da viagem não altera a participação de Bolsonaro no evento.

Neste domingo (15) Bolsonaro recebeu uma visão do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro.

O ministro ingressou no hospital em Vila Nova Conseissau, sul de São Paulo, não foi visto nem discutido. A imprensa Acompanhado por sua esposa, Rosangela Moreau, ele visitou o presidente por cerca de 20 minutos e depois postou em sua foto no Twitter ao lado de Bolsonaro e a primeira-dama Michelle Bolsonaro. “Uma visita ao Sr. Presidente e Sera. Primeira-dama Boa conversa. O presidente está muito bem restaurado. O homem é forte ”, dizia a mensagem. Logo depois, Bolsonaro postou a mesma foto em sua conta do Twitter, mas sem assinaturas.

Quarta operação

Esta foi a quarta operação depois de atingir Bolonaro durante a campanha eleitoral de 2018. O objetivo era corrigir uma hérnia (uma protuberância de tecido) que surgia no local de intervenções anteriores.

Um extrato ocorrerá após uma sessão de fisioterapia em um hospital. "A alta ocorreu devido a melhores resultados nos exames, um processo de trânsito no intestino e uma melhoria geral", disse o Dr. Antonio Luis Masedo no final da manhã. Segundo o cirurgião, no domingo o presidente foi ao hospital por 3 km.

Durante o período de recuperação, o presidente deve "seguir os conselhos médicos relacionados à dieta e atividade física", de acordo com o relatório médico. "Preferimos que ele relaxe em casa do que exerça esforço físico ou esforço para falar demais", disse Macedo.

Alimentos

A dieta das veias foi suspensa no sábado (14). Agora o presidente continua com nutrição cremosa. Segundo o médico, isso ocorre porque "ainda há pouco gás no intestino delgado". “Em uma dieta cremosa, há calorias suficientes para suportar. Cerca de duas mil calorias por dia ”, disse ele.

O próximo passo é comer alimentos pastosos. "Ele veio com melhorias progressivas, tomou alimentação por via oral, era um desenvolvimento esperado e precisa ser apoiado", disse o porta-voz Barros.

Nesta sexta-feira (20), a equipe médica do Hospital Vila Nova Star irá a outro centro médico D & # 39; em Brasília para avaliar a recuperação do presidente. “Ele tirará sangue e fotos. Se eu gosto tanto do estômago, vou lançar uma dieta normal para ele na sexta-feira ”, disse o Dr. Macedo.

ONU

Segundo o porta-voz, o cronograma de participação do presidente é mantido. na Assembléia da ONU em Nova York em 24 de setembro. A viagem à cidade americana, prevista para o dia 22, foi adiada para o dia 23.

Como sempre, o Presidente do Brasil é quem faz o discurso de abertura na reunião. Segundo Barros, o texto está "se movendo em muitas mãos". “O presidente da república já entendeu ou deixou claro que tipo de idéias são essas e quais os principais tópicos que devem ser considerados. Mas, de fato, o discurso será encerrado apenas um pouco mais tarde, quando o Presidente, juntamente com seu grupo consultivo, o considerará e determinará a forma final. ”

Após esse evento, Bolsonaro e sua comitiva devem seguir para o Texas, onde haverá uma “reunião com industriais, com empresários – alguns deles, incluindo oficiais gerais das forças armadas dos EUA – e do Texas, retornaremos ao Brasil”, afirmou Barros. “Ele volta no dia 25. A redução é por razões médicas. "

O representante acrescentou que, no final de outubro, o presidente visitaria o Japão, a China e o Oriente Médio dentro de 10 dias.

G1

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.