Falta de dinheiro para alterações ameaça reformar na sessão plenária

0


Apesar do optimismo público dos principais participantes na reforma da segurança social, a promoção da proposta numa sessão plenária da Câmara dos Deputados na próxima semana enfrenta uma série de obstáculos.

Líderes dos principais partidos do Congresso listam o impasse em fundos públicos e professores, a falta de recursos do governo federal para pagar as emendas prometidas e a pressão renovada dos governadores sobre a reintegração de estados e municípios.

Apesar da intenção dos líderes para aprovar a proposta na reunião plenária antes de

Parte do banco com balas relacionadas a corporações, ameaça votar contra a reforma, se a proposta não suavizar as regras para os policiais.

Neste cenário, o interlocutor Presidente Zhair Bolsonaro reconhece que, sem consentimento com a categoria, a votação na reunião plenária não deve ocorrer na seguinte

A margem de votos não é tão grande a ponto de perder o apoio da base aliada do presidente, que continua a defender a boa vontade Polícia Federal e Polícia Federal de Trânsito.

Representantes e agentes do governo esta semana.

Após Bolsonaro ter confirmado que a reforma da seguridade social ainda não havia sido concluída, e os mal-entendidos deveriam ser corrigidos, a ala da câmara novamente defendeu as novas regras de aposentadoria dos policiais.

Hoje, a polícia federal, a polícia federal de trânsito, a polícia legislativa, agentes correcionais e de educação social estão sob investigação. PEC (Proposta de Emenda à Constituição), que foi aprovada na madrugada desta sexta-feira (5) por uma comissão especial.

Sem coordenação com a polícia, um colega manteve a idade mínima para essa carreira aos 55 anos, apesar dos apelos do presidente. O problema são as regras para aqueles que vão renunciar.

“Olha … há um mal-entendido, um mal-entendido, às vezes eles exageram com este ou aquele sentimento, e levando em conta a sensibilidade que existe no parlamento, isso será corrigido. A reforma das pensões não acabou. Além disso, depois que a Câmara dos Deputados tem um Senado ”, disse Bolsonaro na sexta-feira.

Diante da resistência dos articuladores da reforma às exigências, a polícia começou a discutir na sexta-feira a redação da emenda, que será votada. em sessão plenária

Folhapress

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.