Construção reduz queda no RN, mas aumenta o pessimismo

0


A Pesquisa da Indústria da Construção, preparada pela Federação das Indústrias do Estado do RN (FIERN), aponta que, em setembro, a atividade do setor registrou uma queda, embora menos intensa que na pesquisa anterior; e caiu abaixo do padrão usual para o período, uma tendência ininterrupta desde fevereiro de 2013.

A indústria busca uma luz (Foto: Veja)

O número de funcionários também caiu em um ritmo mais lento do que em agosto. . O nível médio de utilização da capacidade operacional (UCO), por sua vez, atingiu 32%, 12 pontos percentuais abaixo do índice de agosto (44%) e 3 pontos percentuais abaixo de setembro de 2018 (35%).

No terceiro trimestre de 2019, a condição financeira das empresas do setor piorou em relação ao trimestre anterior, refletindo maior insatisfação com margens de lucro e condição financeira, além de dificuldades no acesso ao crédito. Os empresários também apontaram que os preços médios das commodities estavam estáveis ​​em comparação ao segundo trimestre.

Altas taxas de juros

O principal problema do trimestre, na opinião dos empresários da indústria da construção, era a demanda doméstica insuficiente; seguido por alta carga tributária, falta de capital de giro, burocracia excessiva, altas taxas de juros e inadimplência de clientes.

Em outubro, as expectativas do setor para os próximos seis meses apontam pessimismo em todos os aspectos avaliados, a saber: nível de atividade, compra de insumos, novas empresas e serviços e número de funcionários. Cabe ressaltar, no entanto, que as perspectivas para outubro de 2018 melhoraram em três dos quatro itens analisados.

A intenção de investimento caiu novamente – uma queda de 2,1 pontos em relação ao ano anterior. Veja a pesquisa completa clicando aqui] Instagram HERE Facebook HERE e Youtube HERE .

<! –

->

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.