Bolsonaro diz que o governo "pula" a regra de demissão para a polícia O presidente Zhair Bolsonaro disse na quinta-feira que cometeu um erro ao não incluir regras mais brandas para a polícia federal e de trânsito na reforma previdenciária, e pediu publicamente a alteração do texto da proposta.

0


Foto: Agencia Brasil

Na noite de quarta-feira (3), após tentativa de acordo formulado pelo próprio presidente, uma comissão especial da Câmara não chegou a um consenso com a categoria policial, que considerou insuficientes as alterações. O grupo da aldeia, durante o café da manhã no Palácio do Planalto, o presidente defendeu que a mudança não era uma tentativa de dar privilégios às forças policiais, e pediu uma boa atitude em relação ao Legislativo.

“Há um erro que nós, o governo, cometemos erros e podemos resolver este problema graças ao bom senso dos mestres. Por favor por favor. O discurso de alguns, como se quiséssemos dar o privilégio também à polícia federal e à polícia federal de trânsito, não prossegue. Eles são nossos aliados e nunca tiveram privilégios no Brasil ”, afirmou.

O presidente ressaltou que as forças policiais são aliadas do país, “entregam a vida a todos os brasileiros” e pediram que os requisitos dessa categoria sejam cumpridos ”. "Seria injusto para ele argumentar que a polícia militar tem um privilégio.

" A polícia militar nunca teve um privilégio no Brasil. Se você está falando sobre a restauração de privilégios, não é verdade. Vou apelar para você sobre este assunto em particular. em particular, porque a polícia militar é mais do que nossos aliados, são eles que dão suas vidas a todos nós brasileiros. O mesmo vale para a polícia federal e para a polícia de trânsito ", disse ele.

categorias de segurança pública e, principalmente, a Polícia Federal, é um dos pontos que bloqueiam o andamento do projeto na Casa.PDD, um dos maiores bancos, não se nega a fazer mudanças que beneficiem o setor.

Na quarta-feira (3), a proposta foi discutida com texto repórter Samuel Moreira (PSDB-SP), os 53 anos anteriores para homens e 52 anos para mulheres das carreiras da Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e Polícia Legislativa.

A PEC, proposta pelo governo em fevereiro, estabeleceu uma idade mínima de 55 anos. para homens e mulheres. Atualmente, não há idade mínima de aposentadoria para as categorias, mas são necessários apenas 30 anos para doações, se for homem, e 25 anos para mulheres.

Folha

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.