Bolsonaro amplia vantagem em cenários de primeiro turno para reeleição, informa pesquisa da Veja / FSB

0

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) aumentou a vantagem sobre seus rivais posteriores no próximo turno das eleições, quando ele tentou ser reeleito. Isso mostra a nova enquete que a Veja / FSB publicou nesta quinta-feira (13.02.2020).

De acordo com os dados coletados, o atual CEO, que já era líder em todos os cenários, oscilou para cima. dentro da taxa de erro de 2 pontos percentuais – de 33% a 37%. Os outros possíveis candidatos estagnaram.

No cenário mais provável em que os candidatos ao PT Fernando Haddad (PT), Ciro Gomes (PDT) e Luciano Huck (sem partido) competem entre si, o ex-prefeito de São Paulo é o principal adversário de Haddad, com 15% flutuou negativamente para 13%. Por exemplo, o PT estava tecnicamente vinculado ao moderador Luciano Huck (12%) e ao ex-governador Ciro Gomes (PDT) (11%). Eles mantiveram suas porcentagens da pesquisa anterior.

Também estagnam, mas bem abaixo dos demais, o empresário João Amoêdo (Novo) com 4% e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB) com 3%.

Bolsonaro x Lula

No cenário com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como candidato ao PT, a vantagem de Bolsonaro diminuiu significativamente – ele teria 31% das intenções eleitorais, mas 28% do PT. Isso representa uma conexão técnica e confirma as conclusões da pesquisa anterior do instituto: Lula é o oponente que mais ameaça a reeleição de Bolsonaro.

No entanto, Lula não é elegível devido à Lei do Registro Limpo. O PT foi condenado em segunda instância, o que o impede de ser candidato a uma eleição. Se nada mudar até 2022, Lula não poderá concorrer.

A situação é a mesma da pesquisa de dezembro, quando apresentava taxas de 32% e 29%, respectivamente. Em uma segunda rodada, Bolsonaro hoje teria 45% de preferências contra 40% do ex-presidente Lula.

Em um segundo turno sem Lula, Bolsonaro venceria facilmente Haddad (51% a 33%) e Doria (50% a 25%). %), mas teria uma disputa mais próxima com Huck (45% a 37%) e superaria Moro (39% para o Ministro da Justiça e 37% para o Presidente).

Ex-juiz de Lava Jato Com 29% de aceitação, ele é o ministro mais bem classificado do governo – o segundo colocado Paulo Guedes (economia) está 6% atrás. A pesquisa foi realizada entre 7 e 10 de fevereiro de 2020. Como resultado, os efeitos do discurso de Guedes no dólar e nos trabalhadores domésticos ainda não foram sentidos.

Liderança Moro

Sem Bolsonaro e Lula na disputa, Moro lidera as pesquisas com 31%. Ele foi seguido pelo moderador Luciano Huck (16%) e pelo ex-candidato Fernando Haddad (14%). Ciro Gomes vem depois com 12% das intenções eleitorais.

A pesquisa realizada pelo Instituto FSB Pesquisa entrevistou 2.000 eleitores por telefone. A taxa de erro na amostra geral foi de 2 pontos percentuais com um intervalo de confiança de 95% – ou seja, se a pesquisa fosse realizada 100 vezes, seriam 95 resultados.

Veja como eram os cenários:

Cenário 1

Jair Bolsonaro – 37%
Fernando Haddad – 13%
Luciano Huck – 12%
Ciro Gomes – 11%
João Amoêdo – 5%
João Dória – 3%

Cenário 2

Jair Bolsonaro – 31%
Lula – 28%
Luciano Huck – 11%
Ciro Gomes – 8%
João Amoêdo – 5%
João Dória – 4%

Cenário 3

Sergio Moro – 31%
Luciano Huck – 16%
Fernando Haddad – 14%
Ciro Gomes – 12%
João Amoêdo – 5%
João Dória – 4%

Metrópole com Veja

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.