Bem-estar: a votação final do orador deve ser lida hoje. Veja o que pode mudar

0

[ad_1]

A leitura da votação final do deputado Samuel Moreira (PSDB-SP) está prevista para hoje. Este é um passo importante, permitindo que você vote o texto da proposta em sessão plenária antes do recesso parlamentar, que começa em 18 de julho.

Membros do centro, no entanto, insistem em adiar a leitura da votação, após o que o orador pode sugerir mais mudanças. Entre as mudanças planejadas, o palestrante sugerirá regras mais brandas para professores aposentados. Parlamentares centrais insistem em mais mudanças na proposta e reclamam do atraso na liberação dos fundos prometidos pelo governo em troca de apoio.

Ver Pontos de reforma abertos:

Estados e municípios: na primeira versão do relatório, essas pessoas ficaram sem pensão. O prefeito Rodrigo Maya (DEM-RJ) ainda está tentando encontrar uma maneira de incorporar os governos regionais ao texto. O governo, no entanto, já reconhece que os estados podem ser excluídos, uma vez que as autoridades locais, lideradas pelos partidos da oposição, não se comprometeram a defender mudanças nas regras de aposentadoria.

Patrulha Rodoviária Federal e Federal: relatório revisado com uma idade mínima de 55 anos, mas pressão na bancada PSL para revogar essa exigência. O líder do governo na ala, vice-presidente Vitor Hugo (PSL-GO), disse que, se houver desidratação, será pequena. Se os requisitos de ambas as categorias fossem plenamente atendidos, o resultado teria sido US $ 4 bilhões em dez anos.

Professores: O relator da reforma irá propor que os professores tenham o direito à totalidade (o último salário profissional) e à paridade de ajustamento salarial aos 57 anos. A primeira versão do relatório previa que os professores só teriam esses benefícios aos 60 anos de idade.

Políticas. O relatório elevou a idade mínima de aposentadoria dos políticos de 60 para 65 anos, e o tempo que falta para a aposentadoria é reduzido em 30%, mas os parlamentares insistem em uma regra mais flexível.

Regra para calcular o valor dos benefícios. O parecer leva em consideração a média de todas as contribuições dos empregados, mas é necessário adotar uma fórmula mais vantajosa, com base em uma média de 80% de contribuições maiores.

Pontos já determinados

Idade mínima de aposentadoria. De 65 anos (homens) e 62 anos (mulheres) para trabalhadores do setor privado e funcionários públicos da União. Regra de transição. Aqueles que já estão no mercado de trabalho terão que seguir as regras para a transição para a aposentadoria.
Pensão. O valor cai para 60% e aumenta com o número de dependentes no limite de 100%.

Acumulação de pensões e pensões. O segurado pode escolher a parte mais lucrativa e menos lucrativa do benefício.
O termo mínimo para a contribuição das mulheres para a idade de aposentadoria por idade. Persiste por 15 anos.

Nível progressivo da segurança social. No caso do INSS, a nova regra prevê taxas que variam de 7,5% a 14%, distribuídas em faixas salariais. Para o funcionalismo, a taxa de imposto pode atingir 22% do salário mais alto.

O GLOBO

[ad_2]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.