A viúva de Mega-Sena tem outra moção por liberdade que foi rejeitada pelo tribunal

0

Foto: Fabiano Rocha / Agência O Globo

O Judiciário do Rio rejeitou o pedido de liberdade de Adriana Ferreira Almeida, conhecida como viúva Mega Sena, e foi condenado a 20 anos de prisão por planejar o assassinato do ex-milionário René Senna em 2007.

O ex-advogado de cabeleireiro tentou substituir a prisão preventiva por medidas cautelares, mas afirmou que isso não podia ser aceito, uma vez que Adriana, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ), tinha essa vantagem após sua segunda tentativa alcançado. Naquela época, porém, ela não seguiu as medidas e foi refugiada depois de mais tarde ordenar que ela voltasse à prisão.

Cerca de um mês atrás, Adriana não conseguiu se libertar depois de pedir um habeas corpus para se beneficiar do novo entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF) em prisões de segunda instância.

Relembre o caso

René Senna foi baleado em janeiro de 2007 em Rio Bonito, na região de Adriana.Depois da sentença que sentenciou o ex-cabeleireiro, Adriana ordenou a morte de seu marido depois que ele disse que a excluiria do testamento porque ele descobriu que estava sendo traído. Atualmente, ela cumpre pena de prisão no Rio.

Por um ano e meio como milionário, Senna recebeu ativos inimagináveis ​​para um ex-agricultor. Em maio de 2008, quando começou o processo de divisão da riqueza, seu dinheiro foi depositado em duas contas: R $ 1,9 milhão na conta conjunta com Adriana e R $ 43,8 milhões em conta poupança da Caixa Econômica. Federal. A filha do ex-fazendeiro e outros 13 irmãos estão atualmente lutando para receber o valor em juízo.

Um dos bens culturais mais valiosos é a Fazenda Nossa Senhora da Conceição, em Rio Bonito, comprada por R $ 9 milhões. O milionário viveu lá nos últimos sete meses de sua vida. A propriedade está abandonada. A propriedade possui 9,3 quilômetros quadrados, campo de futebol, quadra de vôlei, pomar e uma casa com sete quartos, cinco banheiros, quatro salas de estar, adega, duas piscinas, sauna e churrasqueira.

Durante o julgamento em que foi sentenciada, Adriana disse que amava René e que sua vida era muito melhor do que ele viveu: "Eu tinha tudo", disse ele na época. Após o crime, a ex-cabeleireira se casou novamente e tomou o sobrenome de seu novo marido: hoje, ela assina Adriana Ferreira Almeida Nascimento.

O Globo

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.