A ocupação de hotéis no PH está estagnada.

0

[ad_1]

O fim da crise econômica não provocou mudanças significativas na indústria hoteleira do Rio Grande do Norte devido a um fator não relacionado: o alto custo da passagem aérea para o estado. Entre o primeiro semestre deste ano e o mesmo período do ano passado, o crescimento do número de unidades habitacionais ocupadas em hotéis pertencentes à associação hoteleira brasileira Rio Grande do Norte (ABIH / RN) foi de 0,26% positivo no Natal. Em Mossoró, o declínio foi maior: 2,06%. Em Pipa, a redução foi de 0,36% nos primeiros seis meses deste ano. Espera-se que, com a nova política de ICMS introduzida pelo governo do estado sobre o querosene de aviação, com uma redução gradual das taxas, a realidade mude a partir do segundo semestre.

“Acho que o problema foi exacerbado pelo alto custo dos bilhetes aéreos. No primeiro semestre deste ano, tivemos a falência da Avianca e a concentração do mercado de transporte aéreo local em três empresas (Blue, Gol e Latam) e, consequentemente, aumentos de custos. Se isso não tivesse sido feito, teríamos melhorado nossas taxas de emprego ", analisa José Odessio Junior, presidente da ABIH / RN. Neste mês, julho, a previsão não é positiva em relação a julho de 2018. Segundo as previsões da associação, a previsão de hotéis em Natal 53% (em 2018 era cerca de 76,2%) Para Mossoró este mês: 53,5% (contra 63,02% no mesmo período do ano passado) Em Pipa, 49% para o mês de férias (em julho Em 2018, uma região costeira popular registrou uma ocupação de 62,8%)

Consultor, Associação Brasileira de Turismo Agências no Rio Grande do Norte (ABAV / RN), Diassis Holanda, argumentam que é necessário mudar não só a política de preços dos voos para o Rio Grande do Norte, mas também estimular as mudanças nas atrações locais. distância para os turistas Todos já sabem disso, mas, além disso, nossa visão precisa ser reformulada, devemos cuidar deles, temos lugares públicos, como a Fortaleza dos Reis Magos, a Valentina Grove, que precisa ser revivida, assim como as margens de nossas praias. O turismo é baseado não só no sol e no mar. Precisamos elevar nosso nível turístico com mais atrações ”, diz Diassi Holland.

O Secretário de Estado do Turismo (Setur) não se pronunciou sobre esta questão.

Tribuna do Norte

[ad_2]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.